O Rapidão da Notícia

Peso-pena se diz ciente de que torcida na capital cearense estará a favor do “Campeão do Povo”, mas espera capitalizar o conhecimento que o “fã médio” tem sobre o adversário para se fazer conhecido.

Muito tem sido dito que neste sábado, no UFC Fortaleza, uma vitória contra José Aldo pode colocar Renato Moicano na disputa do título peso-pena (até 66kg) da organização na luta seguinte. Mas o duelo com o ex-campeão não tem apenas tal importância. O lutador brasiliense de 29 anos esperar angariar novos fãs ao enfrentar um dos lutadores mais conhecidos da história do MMA, conhecido no Brasil por “Campeão do Povo”.
– (Essa luta é) muito importante para a minha carreira, pode me trazer um salto de visibilidade muito grande, de as pessoas me conhecerem, e de todas essas pessoas que já conhecem o nome do Aldo, mesmo as que não são os fãs “hardcore”. Se você falar de José Aldo (para o fã comum), ele sabe quem é. Acho que essa luta vai me trazer justamente o reconhecimento desses fãs. Os que acompanham mais, que sabem de ranking, esse me conhece – disse Moicano numa conversa exclusiva com o Combate.
Apesar da certeza de que esta é a maior luta de sua carreira, Moicano lembra que não tem sido diferente desde que começou no Jungle Fight, defendendo as cores da Constrictor Team. Ele citou outras “lutas mais difíceis da carreira”.
– Com certeza (é minha maior luta na carreira). Tenho recebido, na verdade, um “desafio maior da minha carreira” a cada luta. Lembro a primeira vez em que estive nos EUA, contra o Jeremy Stephens, e foi a mesma coisa. Eu não estava ranqueado e ele já era o quinto do ranking, e me perguntaram: “Essa é a maior luta da sua carreira?”, e disse que sim. E depois Cub Swanson, Ortega, e até agora tem sido assim, e prefiro que seja. Vou te falar que lutar contra esses caras que têm bastante nome, que são bem ranqueados e lendas, para mim é excelente, me sinto muito feliz (…). Gosto de jogar alto, de arriscar bastante, e principalmente de vencer.
Dono de um cartel com 13 vitórias e apenas uma derrota, e ainda com um empate, Renato Moicano ainda garante que o fã de luta espera por esse confronto com Aldo. Se estivesse na arquibancada, essa seria uma luta que ele gostaria de assistir.
– Acho que será uma grande luta, e eu como fã gostaria de assistir. Gosto de pensar não só como lutador, mas como fã, como foi a luta do Brian Ortega com Max Holloway, que foi uma luta que assisti lá como atleta e fã. Acredito que essa luta será muito boa e o pessoal vai gostar, com certeza. Estou muito motivado, muito feliz, e espero corresponder da melhor maneira no sábado.
Moicano também aproveitou para falar das possíveis semelhanças com o campeão Max Holloway, responsável por vencer José Aldo duas vezes. O brasileiro só enxerga a altura como característica parecida.
– Vejo (semelhança) principalmente na altura, na envergadura. Acho que o Holloway é um excelente campeão, mas ele não trabalha tanto a parte de chão, e o meu forte é o jiu-jítsu. Talvez eu tenha esse complemento. Claro que a luta começa em pé, então a chance de a luta terminar em pé também é muito grande, mas uma luta de MMA sempre pode ir para o chão. Nessa questão vejo diferença. Vejo um pouco parecido, mas sou mais completo nessa parte de chão do que o Holloway.
E a oportunidade de enfrentar Holloway em caso de vitória em Fortaleza está garantida? Moicano se vê nessa posição, mas diante do futuro incerto do havaiano não pode garantir que terá tal chance na sequência.
– Acredito que sim. O Holloway venceu a maioria já da categoria, todos os top, a não ser os que estão chegando agora de quinto a décimo, mas acredito que estou mais próximo ali. Acredito que, vencendo o segundo do ranking, que é o José Aldo e que foi um grande campeão, não vejo outra luta que não pelo cinturão. Mas a gente vai ter que ver, a gente não sabe ainda o que o Holloway pode fazer, se ele vai subir de divisão. O próprio Dana White disse isso também. Não sei como vai ficar a situação, se vai ter cinturão interino, mas agora o que estou focado é em lutar com José Aldo.
Moicano também falou sobre como tem sido a experiência na Flórida, na American Top Team. Oficialmente, ele mora em Brasília e faz os camps nos Estados Unidos. A dificuldade em deixar a vida no Brasil ainda não o permitiu ir de vez, mas ele admite que treinar com grandes nomes na renomada equipe tem sido muito bom.
– Tem sido muito legal, e principalmente com a vinda do Edson Barboza, tenho aprendido muito. Ele é um dos principais competidores da 70kg, um cara muito top, muito bom em pé. O treinador dele, o Anderson (França), veio com junto e pude pegar bastante coisa. E o Cigano também, que é impressionante! Quem já teve a oportunidade de conhecê-lo, sabe que ele é mais gente boa do que já parece ainda. Se na TV você já o acha gente boa, na academia ele está sempre feliz, sempre brincando, ajudando. Acho que é isso aí que eu precisava, além dessa motivação, enxergar que os campeões são pessoas normais. A Amanda é outra pessoa extraordinária, e o que tenho visto na ATT é isso, que quanto mais gente boa, feliz, tranquilo você é, são os que têm melhor resultado. Procuro não só me espelhar neles na parte técnica, como nessa parte de filosofia de vida também.
Vindo de vitória por finalização contra Cub Swanson em agosto de 2018, Renato Moicano sabe que dificilmente terá a seu favor a maior parte da torcida, mas terá a família ao seu lado. Ele garante que a vitória virá e a comemoração já está escolhida.
– Vai vir bastante gente de Brasília. Claro que não para confrontar a imensa multidão que vai estar torcendo para o Aldo, acredito eu. Mas não faz diferença para mim, o bom é que vou poder abraçar minha família depois da vitória. Meu pai, minha mãe e meus amigos estarão todos aí para a gente sair para comemorar e comer aquele Big Mac.
Neste sábado, o Combate transmite todo o card do UFC Fortaleza com exclusividade e ao vivo, a partir de 20h (de Brasília), enquanto o SporTV 3 e o Combate.com exibem as duas primeiras lutas ao vivo. A Rede Globo transmite o card principal com atraso após o Altas Horas.
UFC Fortaleza
2 de fevereiro de 2019, no Ceará
CARD PRINCIPAL (23h, horário de Brasília):
Peso-galo: Raphael Assunção x Marlon Moraes
Peso-pena: José Aldo x Renato Moicano
Peso-meio-médio: Demian Maia x Lyman Good
Peso-leve: Charles do Bronx x David Teymur
Peso-meio-pesado: Johnny Walker x Justin Ledet
Peso-palha: Livinha Souza x Sarah Frota
CARD PRELIMINAR (20h, horário de Brasília):
Peso-médio: Anthony Hernandez x Markus Maluko
Peso-mosca: Mara Romero Borella x Taila Santos
Peso-meio-médio: Thiago Pitbull x Max Griffin
Peso-pesado: Júnior Albini x Jairzinho Rozenstruik
Peso-galo: Ricardo Carcacinha x Said Nurmagomedov
Peso-mosca: Magomed Bibulatov x Rogério Bontorin
Peso-pena: Geraldo de Freitas x Felipe Cabocão
Fonte: Globoesporte.com

Comentários

Postagem Anterior Próxima Postagem