O Rapidão da Notícia
Por Daniel Villas-Bôas, da Redação Xodó News 

Senador concedeu entrevista exclusiva ao Jornal da Xodó em Rede.

Sensível à problemática em torno do fechamento dos matadouros municipais, o senador Alessandro Vieira (PPS), que no último domingo divulgou uma nota pública afirmando que o momento exige que todos desçam do palanque e se unam por Sergipe, tendo em vista, que diversas pessoas estão tendo suas mesas desabastecidas,  concedeu, nesta segunda-feira,18, entrevista ao Jornal da Xodó em Rede.
Em diálogo com os âncoras Eduardo Carvalho e Carlos Ferreira, o senador declarou não entender a análise que alguns fazem de que os espaços destinados à matança de animais não dê lucro. “O que dá prejuízo é a incompetência”, disparou.
Questionado sobre a eleição da mesa diretora do Senado, onde Davi Alcolumbre (DEM), foi eleito após muita polêmica, Alessandro Vieira destacou ser preciso repensar a forma como o pleito vem sendo realizado atualmente. “A  eleição da mesa do Senado foi um dos espetáculo mais ridículos que eu já vi. Foi uma tentativa de um grupo permanecer no poder. Houve intenção que o processo fosse feito por meio de urna eletrônica, mas o equipamento sequer foi auditado. Então, eu e outros senadores não aceitamos.Temos que avançar para que o processo seja mais transparente. Qual o interesse dos parlamentares em se esconderem atrás do voto secreto? É preciso mostrar  ao cidadão  que nos elegeu os nossos direcionamentos”, afirmou.
Indagado sobre o porquê da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar o Poder Judiciário, batizada de CPI da Lava Toga, projeto de sua autoria, ter sido arquivada após Tasso Jerissati e Kátia Abreu terem retirado suas assinaturas, Vieira disse estar voltado à reapresentação do documento e disse ter havido interferência de um membro do Supremo Tribunal Federal (STF) para que Kátia retirasse seu apoio. “A senadora Kátia Abreu declarou ter recebido ligação do ministro Gilmar Mendes, do STF,  para retirar sua assinatura. O Gilmar que concedeu liberdade a tantos envolvidos em processos de corrupção”, revelou.
Por fim, o parlamentar comentou que a força-tarefa que defende a manutenção da Fábrica de Fertilizantes Nitrogenados (Fafen) em Sergipe, se reunirá ao longo desta semana com o general Hamilton Mourão, vice-presidente da República. Pontuando que a decisão de hibernação em torno da unidade fabril afeta toda uma cadeia produtiva sobretudo por o Brasil passar a importar fertilizantes do mercado internacional, o delegado afirmou que a medida não passa apenas pela questões econômicas da Petrobras. É uma decisão muito mais política do que técnica”, declarou.

Comentários

Postagem Anterior Próxima Postagem