Nesta quinta-feira, 10, José Heleno Silva (PRB), o Pastor Heleno, ex-prefeito de Canindé de São Francisco e ex-superintendente do escritório de Sergipe em Brasília,  concedeu entrevista ao Jornal da Xodó. Na oportunidade, Heleno lembrou sua trajetória de vida, quando saiu da cidade de Monte Alegre, na região do Alto Sertão sergipano, para a partir daí trilhar os caminhos da política.
Questionado sobre a polêmica que foi causada em torno da sua ida à Itabaiana com membros da oposição, Heleno Silva declarou ter sido convidado pelo prefeito Valmir de Francisquinho (PR) para participar de inaugurações de obras.”Eu fui convidado pelo prefeito Valmir de Francisquinho, que é o gestor mais bem avaliado do Estado para participar de algumas inaugurações. Na oportunidade, ele acenou que quer apoiar a minha pré-candidatura e a de André Moura ao Senado, nada mais que isso”, comentou.
Na oportunidade, o pré-candidato também comentou sobre a possibilidade de Valmir vir a indicar um nome para ser seu companheiro de chapa, na condição de suplente e confirmou que houveram diálogos neste sentido. “Tomara que isso se concretize. O povo de Itabaiana é um povo diferenciado no quesito do empreendedorismo. Se vier de Itabaiana o meu suplente será uma honra”, relatou.
Indagado sobre o porquê de estar migrando para o grupo liderado pelo senador Eduardo Amorim (PSDB), o ex-prefeito revelou ter sido preterido pelo bloco governista e diante do sonho de ser candidato ao Senado não lhe restava alternativa senão, buscar seu espaço. “Achavam que minha candidatura seria “chuva de verão” e assim, Belivaldo deixou claro que seus dois candidatos ao Senado são Rogério e Jackson e então o PRB percebeu que não teria espaço. Não queremos secretarias, ou mesmo indicar o vice-governador, o que o PRB quer é que Heleno possa concorrer ao Senado. Sempre mantive o sonho de ser senador para ser a voz de Sergipe lá em Brasília” , declarou .
Inquerido se houve traição por parte de sua sigla ao projeto da situação, Heleno rechaçou a ideia e bateu na tecla de não lhe ser oferecido o espaço desejado. “Você quando está junto vira santo, quando saí vira o diabo. Não havia espaço para nós”, observou.
Perguntado se há ranhuras entre os membros do PRB , tendo em vista que o deputado estadual Jairo de Glória estava acompanhando a comitiva de Belivaldo Chagas (PSD), Heleno Silva descartou essa possibilidade, lembrou que o parlamentar mais ajudou o governo do que foi ajudado e pontuou que muito se fala, sobretudo  no campo da política, onde  surgem muitas especulações e boatos ” O PRB irá marchar junto, não existe possibilidade de  que eu [Heleno], Jairo  e Jony estejamos separados, uma vez que pensamos em grupo”, decretou.

Por fim, o republicano indicou que a atual conjuntura política vivenciada em Sergipe, remete à necessidade de que o próximo governador seja mais gestor e observador social do que político, perfil segundo ele, encontrado no senador Eduardo Amorim. ” Política é momento. Sergipe já teve o momento de João Alves, de albano Franco e de Marcelo Déda e agora se faz necessário a figura de um gestor à frente do Governo ; e vejo em Eduardo Amorim a seriedade e sensibilidade social para exercer essa função. Se formos com ele será por essas questões”, finalizou.

Por Daniel Villas-Bôas
Da redação Xodó News

Comentários

Postagem Anterior Próxima Postagem