“Seria uma incoerência apoiar projetos que eu combati”, declara André Moura

André concedeu entrevista ao Jornal da Xodó em Rede

Nesta sexta-feira,26, demonstrando tranquilidade e respeito à decisão dos eleitores que no pleito eleitoral do último dia 7 de outubro não o elegeram, o candidato derrotado ao Senado, André Moura (PSC), concedeu entrevista ao Jornal da Xodó em Rede. Em conversa com os âncoras Welder Ban e Eduardo Carvalho, André declarou que irá trabalhar com a mesmo empenho para dar continuidade à liberação de recursos dando continuidade a um montante nunca visto na história política de Sergipe.
Questionado o porquê de sua campanha não de tido êxito, Moura fugiu de polêmicas e disse que sua atuação política não está pautada em palanques, mas em beneficiar o sergipanos. “O tempo é o senhor da razão. Não faço política pautada em palanques e assim, liberei emendas para prefeitos que eram opositores. Vejam por exemplo Aracaju, onde Edvaldo Nogueira (PC do B) está ligado ao atual governo e no entanto, a capital foi transformada em um canteiro de obras. Mas os eleitores decidiram por outros dois nomes e não irei torcer pelo fracasso deles, pelo contrário desejo sucesso aos mesmos para que eles façam mandatos melhores do que o meu”, pontuou.
Perguntado sobre o fato de ter seu nome associado a um possível apoio ao candidato ao governo estadual, o atual deputado federal rechaçou essa informação , disse que tudo não passa de fake news, lembrou que apenas se posicionou em âmbito nacional (declarou apoio a Jair Bolsonaro)  e observou que os dois concorrentes ao Executivo sequer apresentam projetos. “Desde o término do primeiro turno disse que adotaria a neutralidade e liberei meus apoiadores para optarem por qualquer um dos candidatos. Os únicos que orientei para não se posicionarem foram os prefeitos de Japaratuba e Pirambu, tendo em vista que são respectivamente, minha esposa e meu cunhado.  Eu não apoio nenhuma das duas candidaturas. Seria uma incoerência apoiar projetos que eu combati. Para mim, Belivaldo é a continuidade do governo desastroso de Jackson Barreto. Por outro lado, não posso apoiar um candidato pau mandado, um fantoche que não tem identidade , personalidade própria ou mesmo digital”, alfinetou.
Indagado se o fato de seu pai, Reinaldo Moura, ter declarado apoio ao candidato  Belivaldo Chagas não geraria uma inconformidade com as suas palavras, e disse que o posicionamento do ex-conselheiro do TCE é de cunho pessoal, não refletindo assim, sua ideologia. “Reinaldo tem identidade própria. Respeito muito meu pai, meu ídolo. Mas a decisão é dele e não minha. As pessoas não podem julgar a relação André/Reinaldo como fazem com a relação dos Valadares, sou responsável pelas minhas atitudes e não marionete do meu pai”, afirmou.
Demandado se já vislumbra alguma outra candidatura, o parlamentar declarou ser muito cedo para pensar nessa temática e que somente após o termino do seu mandato, irá realizar avaliações sobre tudo que houve durante o pleito deste ano. “Eu nem tempo tive para avaliar onde errei, onde acertei. Só temos 19 dias do pleito. a partir de 1º fevereiro vou sentar e conversar com amigos e com a família. Vamos dar tempo ao tempo”, desconversou.
Por Daniel Villas-Bôas
Da redação Xodó News

Nenhum comentário