Tobias Barreto: Ministério Público aciona TCE para falar sobre crime de responsabilidade fiscal cometido pelo prefeito Diógenes Almeida

Assim como havia relatado em entrevista concedida ao Jornal da Xodó no último dia 8, o promotor de Justiça da cidade de Tobias Barreto (SE), Dr. Paulo José, acionou o Tribunal de Contas do Estado (TCE), no tocante a um ato de improbidade administrativa que vem sendo praticado pelo prefeito Diógenes Almeida (MDB).
Em seu prognóstico, o promotor observou que a situação administrativa de Tobias Barreto beira o caos e ” que o que está ruim pode piorar”.
Dr. Paulo observou também, que a majoração da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) para que o Executivo gastasse até 54 % da receita líquida com a contratação de servidores, acabou asfixiando os cofres públicos, tendo em vista que tal índice não vendo sendo respeitado.

Entenda o caso
Na noite desta terça-feira, 8, o promotor de Justiça, Paulo José, declarou ao radialista Adissandro Pinheiro da Xodó AM 1520 MHz, que a situação administrativa de Tobias Barreto beira o caos. ” o que está ruim pode piorar. O município não pode mais ficar nesta situação”, afirmou.
A fala do promotor evidencia o que já havia sido relatado pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE). Prognóstico inclusive, que acabou por culminar no bloqueio das contas da administração municipal.
Na oportunidade, Dr. Paulo observou também, que a majoração da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) para que o Executivo gastasse até 54 % da receita líquida com a contratação de servidores, acabou asfixiando os cofres públicos, tendo em vista que tal índice não vendo sendo respeitado. ” A lei está sendo descumprida e o Ministério Público como órgão fiscalizador irá atuar para que ela seja cumprida. “Se você for servidor público, esteja preocupado; se for comissionado, fique de cabelo em pé; e se for contratado, não compre fiado, porque amanhã você pode não estar trabalhando. É o momento de nos unirmos, conversar e ter cautela. O Ministério Público não pode mais esperar”, comentou.

Por Daniel Villas-Bôas
Da redação Xodó News

Nenhum comentário