SSP deflagra operação para prender acusados de assassinar o capitão Oliveira

Nas primeira horas da  manhã desta sexta-feira,18, a Secretaria de Segurança Pública de Sergipe (SSP/SE), deflagrou uma operação voltada à prisão dos responsáveis de assassinar no dia 4 de abril, o capitão da Companhia Integrada de Patrulhamento em Áreas de Caatinga (Ciopac),  Manoel Oliveira.
Coordenadas pelo Complexo de Operações Especiais da Polícia Civil (Cope), as investigações se basearam em informações recebidas por meio do disque-denúncia . Conforme apurado, a ação contra o capitão, decorreu de um trabalho da SSP  contra o crime de pistolagem, parte na região Norte da Bahia e alto sertão de Sergipe. A operação aconteceu em setembro de 2017 e à época, três pessoas foram presa na Bahia em  Sergipe e no estado de Alagoas.
Até o momento, 3 pessoas foram presas e 8 pessoas morreram em troca de tiros com a polícia. As mortes foram registradas em Poço Redondo (2),  Paulo Afonso -BA (1) Barreiras-BA (2) Aracaju (2) e Luís Eduardo Eduardo Magalhães-BA (1). Entre os mortos estão o líder da organização, identificado pelo pré-nome de Jackson e o ex-policial militar Braz.
A associação criminosa é acusada também, dos assassinatos do presidente da Câmara de Vereadores de Carira,  Jailton Martins, do deputado estadual Joaldo Barbosa, o nego da farmácia e do ex-prefeito da cidade de Pedro Alexandre -BA, Petrônio Pereira Gomes.

Por que Rubicão?
Este era o nome de um rio italiano que não poderia ser atravessado pelas tropas romanas por conta de uma lei, mas, ao ser afrontado, Júlio César decide fazê-lo  e sua ação culmina numa guerra civil. A expressão “atravessar o Rubicão” significa a tomada de uma decisão perigosa, pensar grande, ou ainda, ultrapassar fronteiras, defrontando-se com um caminho duvidoso e potencialmente perigoso.

Por Daniel Villas-Bôas
*Com informações da SSP

Nenhum comentário