Operação Jardim do Éden: Polícia Civil desarticula grupo que comercializa drogas sintéticas em SE e SC

O Departamento de Narcóticos da Polícia CIvil deflagrou na manhã desta quinta-feira (24), a Operação Jardim do Éden. O trabalho é feito em conjunto com a Diretoria Estadual de Investigações Criminais (DEIC) da Polícia Civil de Santa Catarina e tem como foco o combate à venda de drogas sintéticas em Aracaju (SE) e Florianópolis (SC).
Cerca de 60 policiais civis, entre agentes, delegados e escrivães, participaram da operação, que teve como objetivo cumprir mandados de prisão, em Aracaju e Florianópolis, em ações feitas simultaneamente com a Polícia Civil de Santa Catarina. O efetivo foi composto por equipes do Denarc, Coordenadoria de Polícia Civil do Interior (COPCI), Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), Departamento de Crimes contra o Patrimônio (Depatri), Grupo Especial de Repressão e Busca (GERB), além do apoio das 9ª e 11ª Metropolitanas e policiais civis do DEIC/SC.
Ao total, seis pessoas foram presas, sendo cinco em Sergipe e uma em Santa Catarina. São elas: Jonatan da Costa, mais conhecido como “Joaninha”, 27 anos, preso em Florianópolis/SC; Edilberto Alves de Menezes, vulgo “Betão”, 24 anos; Igor Pereira Santos, mais conhecido como “Panda”, 20 anos; Iven Daniel Sousa Gomes, 28 anos; José Alberto Araújo Filho, mais conhecido como “Albertinho”, 20 anos; e Marcos Henrique Silva dos Santos, 19 anos.

De acordo com o diretor do Denarc, delegado Osvaldo Resende, a investigação teve início logo após a prisão de Rodrigo dos Santos Fraga, 27 anos , ocorrida no dia 07 de março deste ano, em um hotel localizado no bairro Atalaia, zona sul de Aracaju. À época, Rodrigo foi preso em posse de 14 comprimidos de ecstasy e 200 comprimidos de anabolizantes.

“A partir do depoimento colhido, nossas equipes deram continuidade à investigação, verificando a existência de duas organizações criminosas responsáveis pela distribuição e venda da droga sintética, oriunda do estado de Santa Catarina, em Aracaju”, explicou.

Segundo o diretor do Denarc, a droga era enviada de Santa Catarina para Aracaju, geralmente pelos Correios. Chegando em Sergipe, era recepcionada por um dos investigados, que se passava por fotógrafo e operador de drone, em festas eletrônicas. Nestes eventos, outros traficantes, muitos deles integrantes de famílias de classe média aracajuana, vendiam os comprimidos.

“Um dos fornecedores era o Jonatan da Costa, mais conhecido como Joaninha. Ele era o responsável por repassar a droga para Rodrigo Fraga, preso anteriormente pelas equipes do Denarc, para que depois ele distribuisse o material para Daniel, Marquinhos, Igor Panda e Edilberto Betão, responsáveis por comercializar os entorpecentes”, ressaltou Osvaldo Resende.

Já em relação a Albertinho, outro indivíduo preso na operação, o delegado explica que ele fazia parte de outra organização criminosa, sendo a ponte entre o distribuidor de Santa Catarina e revendedores da droga sintética em Sergipe.

Na operação, as mais variadas drogas foram apreendidas, entre elas, haxixe, ecstasy, LSD, anabolizantes, entre outros. Dinheiro, equipamentos eletrônicos e telefones celulares também foram encaminhados para a sede do Denarc.

Jardim do Éden
O nome da Operação é Jardim do Éden, porque um dos investigados alegava que Aracaju é um paraíso para comercializar drogas sintéticas, devido ao grande consumo desse tipo de entorpecente em festas, principalmente as eletrônicas.

Fonte: SSP

Nenhum comentário