“Vão se aproximando as eleições e vão me “cozinhando” com os mesmos assuntos”, afirma Rogério Carvalho à Rede Xodó

Nesta quinta-feira,12, em entrevista ao Jornal da Xodó, Rogério Carvalho presidente  do Partido dos Trabalhadores (PT), em Sergipe, voltou a comentar que a prisão do ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva é algo que não deveria ter ocorrido, tendo em vista, segundo ele, que não houve materialidade da denúncia. “A situação do presidente tem movimentado a mídia do mundo inteiro que tem tratado como algo irregular, alertando para um processo político e não jurídico. O Brasil vive um momento de anormalidade. No momento em que o Supremo Tribunal Federal se reúne para discutir causas pétreas fica clara essa anormalidade, a exemplo da presunção de inocência. Lula está hoje onde não deveria e assim, há uma revolta da sociedade que tem uma consciência ampla que está havendo uma perseguição política”, comentou.


Questionado como a questão política em torno da pré-candidatura de Lula  vem sendo tratada, Rogério lembrou os avanços sociais promovidos pelo ex-presidente  e assim insistiu que a sigla irá registrar a pré-candidatura do líder petista.”O PT tem que defender o que Lula representa para o povo brasileiro, onde os menos favorecidos alcançaram a dignidade. Mesmo de dentro da cadeia ele tem direito de se candidatar”, afirmou.
Indagado se teria indicado o Dr.  Christian Oliveira, administrador do Ipesaúde para substituir o atual secretário Almeida Lima, que segundo parte da imprensa, deixará a função, Rogério Carvalho observou que isso não ocorreu. “O PT e eu [Rogério Carvalho] não reivindicamos, não indicamos e não indicaríamos o secretário de saúde. A decisão deve partir do governador, tendo em vista que instalou-se um caos. O governador deve ter total liberdade para exercer esta escolha,”declarou.
Perguntado sobre  quais expectativas carregava em torno da gestão de Belivaldo Chagas (PSD) à frente do Executivo estadual, o petista observou que muito em breve o novo administrador estará colocando sua marca na administração pública. “Quem viver verá. Belivaldo dará a sua identidade ao governo. Convivi com Belivaldo enquanto ele esteve no exercício do cargo em substituição a Marcelo Déda (PT) e posso assegurar que a atuação dele é diferente e pode gerar um sentimento de maior proteção”, pontuou.
Na ocasião, Rogério também comentou como  seguirão as tratativas políticas em torno do pleito eleitoral de outubro, uma vez que Jackson Barreto, líder da situação, desincompatibilizou-se para concorrer ao Senado “do ponto de vista político está mais ou menos indicado quem irá compor a chapa majoritária e  nós devemos pensar em grupo. Belivaldo tem a consciência de que os resultados das urnas dependerão da sua articulação. Não iremos impor nossa candidatura, muito embora,  sejamos os criadores deste projeto. Se entenderem que não agregamos valor ao grupo, ainda que veja como possibilidade remota, seguiremos nosso caminho com candidatura própria”, relatou.
Por fim,  Rogério Carvalho também comentou sobre a decisão do Supremo Tribunal de Justiça (STJ), ter negado a liminar impetrada por sua defesa para reaver a decisão de cassação dos seus direitos políticos. “Essa decisão não é de ontem. Vão se aproximando as eleições e vão me “cozinhando” com o mesmo assunto. Quero lembrar que esta condenação foi motivada porque eu paguei uma conta de energia e logo após recebi um empenho  com uma multa cujo montante somou R$45 mil. “Não houve lesão ao erário público, não roubei e nem agi com dolo. Esse despacho é de fevereiro. Portanto não existe uma condenação definitiva. Cassar os direitos políticos de alguém com base nisto é uma afronta”, disse.

Por Daniel Villas-Bôas
Da redação Xodó News

Nenhum comentário